Notícias

Opinião de Maria João Xavier: “E agora, Sporting?”

Opinião de Maria João Xavier: “E agora, Sporting?”

2019-01-10

Ditou o sorteio da prova rainha do futebol (Taça de Portugal) que na quarta eliminatória se vá disputar a reedição da final da época transata, opondo o SC Braga e o Sporting CP. Se no referido jogo a vitoria sorriu às leoas, o encontro ainda numa fase precoce da competição vai colocar à prova o valor do Sporting na única competição onde depende exclusivamente de si.

Estes jogos da Taça, pelo seu caráter a eliminar, são sempre disputados nos limites, mas realisticamente, as guerreiras têm mais motivos para encarar o jogo com outra determinação e força anímica. Está bem posicionado para conquistar, pela primeira vez no seu historial, a Liga BPI (não se anteveem catástrofes capazes de tirar a equipa do lugar em que se encontra) e, esta época, já venceu o seu opositor em duas ocasiões. E tem ainda outra vantagem, joga perante o seu público.

Mas, não se iluda quem pense que o Sporting vai em jeito de passeio até ao Minho. Obviamente tem consciência da enorme responsabilidade que este jogo encerra para a época em curso (será a única competição que pode vencer) onde a equipa técnica e as suas jogadoras vão querer mostrar que não estão resignadas a uma época que ficará longe das anteriores em termos de conquistas de troféus. Mas a tarefa não se avizinha nada fácil para os lados das verdes e brancas.

Se acima afirmei que o Braga poderá encarar o jogo com outra determinação e força anímica é, também, verdade que irá sentir mais pressão do seu lado. A expetativa de poder alcançar o pleno, em termos de troféus na presente temporada, poderá começar a ganhar contornos reais se ultrapassar a equipa leonina.

Para o futebol feminino nacional, ter um jogo deste calibre e dimensão numa fase inicial da competição (afinal é a segunda eliminatória onde entram as equipas da Liga BPI), não será o mais favorável em termos de promoção da modalidade bem como da projeção dessa eliminatória. Os restantes jogos não terão, infelizmente, o mesmo destaque, mas não se pode condenar que assim seja. Os jogos entre as grandes equipas irão, naturalmente, ofuscar todos os outros. Não que com isto sejam menos importantes, que não são.

Uma das grandes equipas do futebol feminino nacional irá ficar para trás no dia 16 de fevereiro.

Pessoalmente, desde que seja um bom espetáculo e que promova o futebol feminino nacional, que ganhe o que marcar mais golos. Não terá de ser necessariamente o melhor.

Boa sorte a todas as equipas que irão entrar em campo na 4.ª eliminatória da Taça de Portugal e que se viva o espírito da Taça com jogos disputados e emotivos até ao final.

Texto: Maria João Xavier.

Foto: Anabela Brito Mendes.

Faz-te sócio e joga na nossa equipa

junta-te a nós