Notícias

“Vamos lutar por um lugar de acesso à 2.ª Liga”

“Vamos lutar por um lugar de acesso à 2.ª Liga”

2017-01-31

Já passaram 15 anos desde que o Salgueiros esteve na Primeira Liga e um cenário que parecia impossível, torna-se cada vez mais credível após a equipa ter garantido a presença na fase de subida do Campeonato de Portugal.

Em entrevista ao site do SJPF, Rui Lima garante que a sua equipa irá lutar até ao fim por um lugar que lhes dê acesso à 2.ª Liga.

O Salgueiros esteve na Primeira Liga há 15 anos. Sente que esse cenário está cada vez mais próximo?
Sim. A passo e passo, o Salgueiros procura reestruturar-se e organizar-se para poder regressar a um patamar em que já esteve há muitos anos. O primeiro grande objetivo desta época foi conseguido no domingo e agora é preparar bem a fase de subida, procurar entrar em força e lutar por um lugar que dê acesso à 2.ª Liga.

Na época passada, o Salgueiros esteve muito perto de garantir a presença na fase de subida, mas não conseguiu. Este ano alcançou esse desiderato. Acredita que este ano vão conseguir subir à 2.ª Liga?
Penso que este ano, e por aquilo que temos visto nos últimos anos, em que havia sempre uma ou duas equipas que se destacavam na fase de subida, vai ser muito mais equilibrado. Vão ser jogos decididos nos pormenores porque as equipas estão mais equilibradas. Mas nós vamos procurar ser fortes e, tal como disse anteriormente, lutar até ao fim por um lugar que dê acesso à 2.ª Liga.

Já esteve na Primeira e na Segunda Liga e está agora no Campeonato de Portugal. Nota grandes diferenças no futebol praticado nos diferentes escalões?
Sim, há sempre diferenças. Principalmente ao nível da intensidade de jogo, mas o Campeonato de Portugal tem equipas e jogadores de boa qualidade. Prova disso é a transferência de alguns jogadores, que têm ido diretamente do Campeonato de Portugal para a 1.ª Liga e que têm conseguido ter algum sucesso. Isso prova que em Portugal as pessoas estão atentas a este campeonato. Mas acima de tudo, a diferença que mais se nota, como é lógico, para além da qualidade de alguns jogadores da 1.ª Liga que é maior, principalmente ao nível de intensidade, mas não deixa de ser um campeonato muito competitivo, com equipas e jogadores de qualidade.

Com que objetivos é que parte para esta nova fase da época?
O primeiro grande objetivo era conseguir um dos dois primeiros lugares na primeira fase, que nos desse acesso à fase de subida. Agora não vamos negar nem fugir do nosso segundo grande objetivo que é lutar para subir de divisão. Foi um objetivo proposto desde o início da época, mas logicamente que teríamos de nos focar primeiramente nas 18 primeiras jornadas para ficar nos dois primeiros lugares. Felizmente conseguimos e agora é preparar bem a equipa durante esta semana para quando começar a fase de subida estarmos no nosso máximo e podermos entrar a ganhar, que é o nosso objetivo mais próximo.

E a nível individual, como está a correr a temporada?
A nível individual tive um início um bocado complicado. Tive alguns problemas físicos na pré-temporada, mas depois começou a correr bem. Começámos bem a época, tivemos um período complicado em que algumas lesões debilitaram um pouco as soluções para o treinador, mas penso que agora no final conseguimos novamente expor a nossa capacidade em campo. Nestes últimos dois jogos conseguimos garantir o nosso lugar.

Sendo um dos jogadores mais experientes do plantel, que conselhos é que dá aos mais novos?
Aquilo que eu lhes procuro transmitir é aquilo que eu emprego dentro do campo, é fazê-los ver que se eu consigo, eles que são muito mais novos também irão conseguir de certeza. Acima de tudo é isso que eu procuro: é dar o máximo e ter uma entrega total dentro do campo e com isso, com a minha atitude e a minha entrega, contagiar todos, os mais novos também e fazê-los acreditar e ter a ambição de que é possível. Se nós conseguirmos chegar ao fim e atingirmos os nossos objetivos, temos a noção de que estamos a colocar novamente o Salgueiros nos campeonatos profissionais. Porque estamos a falar de um clube com uma mística muito especial e com muitos anos de história e também transmitimos um pouco isso. Eu que sou mais velho e que se calhar sei melhor o que é o Salgueiros do que eles, procuro passar-lhes o feito que será se nós conseguirmos alcançá-lo.

Acompanha o trabalho desenvolvido pelo Sindicato dos Jogadores?
Sim, normalmente estou sempre em contacto. Sei de ex-colegas meus, como o João Paulo, que trabalham no Sindicato e procuro estar sempre em contacto com as várias ações que o Sindicato tem promovido, como a questão de ajudar os jogadores a acabarem a sua formação académica. Penso que isso é fundamental principalmente para jogadores em fases de carreira como a minha, para procurarem ter mais ferramentas que possam dar outras saídas profissionais, porque o futebol, infelizmente, não dura para sempre.

Então pode-se dizer que tem uma opinião positiva do Sindicato?
Sim. Já sou sindicalizado há muitos anos, conheço as pessoas que trabalham no Sindicato e penso que têm feito um trabalho bastante positivo na defesa dos jogadores e procurado arranjar novas perspetivas e novas soluções para que os jogadores possam ter um futuro melhor a seguir ao futebol. Acho que acima de tudo esse tipo de trabalho que tem feito ultimamente tem sido bastante positivo.

Foto: Rui Raimundo/ASF.

Faz-te sócio e joga na nossa equipa

junta-te a nós